A abertura da privatização da economia brasileira

(1990-1992)

 

 

Orientando: Lima, Everaldo Pereira1

 

Orientador: Pinheiro, Daniel Rodriguez de Carvalho2, MS

 

1. Bolsista PET/CAPES/UECE.

 

2. Professor FAFIDAM/UECE. Tutor PET História/UECE.

 

 

Introdução: No Brasil, a década na qual vivemos foi iniciada com muitas novidades no plano histórico. O governo Collor é lembrado como aquele que confiscou as Cadernetas de Poupança, em uma época na qual a inflação galopava. Isto só foi possível devido ao fato de existir uma atribuição um pouco ditatorial ao Presidente da República: a medida provisória. Além da corrupção, esse período é também lembrado pelo início no processo de liberalização da economia, isto é, pala abertura do mercado brasileiro à concorrência internacional, que atualmente ainda segue percurso juntamente com a privatização de muitas empresas estatais. É a partir desses dois pontos que essa pesquisa foi elaborada. Metodologia: O procedimento teve início com a investigação empírica de todos as medidas provisórias baixadas no período 1990 a 1992, seguindo-se a elaboração de uma cronologia por número e datas dessas medidas provisórias. Em outro momento tentar-se-á identificar as que se referem a liberalização e privatização da economia brasileira, seguindo-se então um diálogo com uma bibliografia básica acerca do período. Resultados e Conclusões: A idéia de que o governo Collor iniciou afastamento do Estado do comando da economia brasileira é imprecisa, o que houve foi uma minimização de suas funções, um reordenamento para superar a crise fiscal. Neste contexto, tem-se a crise do padrão de acumulação fordista acompanhado pela terceira revolução tecnológica. É um momento pós Guerra Fria, acompanhado pela mundialização produtiva e financeira do capital, no qual o Consenso de Washington é tornado como uma solução para a crise da economia, que se estende desde os anos oitenta, com vários planos de estabilização econômica fracassados.